21 de mai de 2018

[Entrevista] Abuso sexual contra crianças e adolescentes

Compartilhe
Matéria para o Polêmica Paraíba



1. Quais os sinais que devemos ficar atentos em crianças que podem estar sendo vítimas de abuso?

Apenas 40% dos casos apresentam evidência física. Sendo assim, os principais sinais são comportamentais:
- Perda do apetite ou compulsão alimentar;
- Pesadelos, medos inexplicáveis de pessoas ou lugares;
- Apatia, afastamento dos amigos;
- Perda dos antigos hábitos de brincar;
- Voltar a chupar o dedo, fazer xixi na cama ou cocô nas calças;
- Conhecimento ou comportamento sexual exagerados;
- Irritação, sangramento, inchaço, dor, coceira, cortes ou machucados na região genital ou anal.

2. Como podemos prevenir que nossas crianças sejam abusadas?

A violência sexual acontece de muitas formas, inclusive quando não há contato físico. É muito importante que os pais, educadores e responsáveis estejam atentos para não expor as crianças e adolescentes à situações desagradáveis que confundam os limites do autocuidado com o próprio corpo e emoções:
- Não force a criança ou adolescente a tocar um adulto;
- Não encoraje a criança ou adolescente a se envolver em atividades sexualizadas com outras crianças;
- Não use a criança ou adolescente em apresentação sensual como fotografia, filmagem ou dança, mesmo que a intenção seja uma brincadeira;
- Não faça comentários erotizados sobre o corpo da criança ou adolescente.

3. Como ensinar noções de consentimento para crianças? Com que idade e de que forma podemos conscientizá-las sobre se defender de possíveis abusos?

Antes mesmo dos dois anos de idade, os pais e cuidadores podem e devem compartilhar com a criança pequena, quem pode ajudar a lavar o pipi e a pepeca e que eles devem ficar guardadinhos: primeiro com a fraldinha, depois com a calcinha ou cueca. É um discurso lúdico que vai acontecendo no banho, na troca de roupa e de forma natural, ajudando a criança a internalizar os conceitos básicos sobre o corpo, sentimentos e trocas afetivas, além de incentivar positivamente abertura para conversar mais sobre o assunto quando tiver dúvidas e sentir necessidade.

 Sugestão super didática para iniciar as conversas sobre o assunto com os pequenos: Materiais Pipo e Fifi

Nenhum comentário :

Postar um comentário