6 de dez de 2015

Carta ao bom velhinho... (sempre é tempo)

Compartilhe
Querido (e tão desacreditado) Papai Noel:

Este, foi um ano difícil, emocionalmente. Por outro lado, também foi um ano de crescimento profissional e aprendizados. Talvez a minha resiliência sendo testada e encontrando - que alívio - espaço para superação. Por isto escrevo para pedir. Não fui uma boa menina o ano inteiro, eu sei, mas insisto. Eu gostaria de ganhar uma "acreditadeira do bem". Sabe, uma caixinha dessas que você descansa o olhar e já começa a acreditar em algo bom? Não sabe? Eu também não, mas estou tentando, tudo bem? Imagina só: uma caixa bem colorida e brilhosa, dessas que você tem por aí (sim, eu sei que tem - fui num shopping outro dia e havia um protótipo da sua marcenaria)... Então, dentro da caixinha viria uma energia tão intensa que transforma aquilo que não se acredita em algo acreditável, tipo você. As pessoas estão duras, e tudo aquilo que se aproxima da leveza, incita raiva e indelicadeza. Contradição. É preciso enviar coloridices e mais magia para esta realidade. Se me enviar, prometo disseminar. E, veja só, na falta da possibilidade de realização do meu desejo, envie-me um caderninho, farei dele mais um espaço para registrar e compartilhar o bem.

Até breve! 

Mayara Almeida ☆

Nenhum comentário :

Postar um comentário