11 de set de 2017

Nasce um bebê e ... (Não) nasce uma mãe. Não necessariamente.

Compartilhe

Ainda vivemos numa cultura em que prevalece a ideia de que a maternidade é um instinto (da ordem apenas do biológico). Mas é necessário lembrar que o nascimento (psíquico) de uma mãe não coincide com o nascimento biológico do bebê. Isto significa que, do ponto de vista emocional, uma mãe não nasce quando nasce um bebê. Uma mãe é construída e reconstruída dia após dia a partir de sua história pessoal, das representações sobre o que é ser uma mãe, das interações que estabelece com seu bebê e do suporte que recebe de seu ambiente.

Muito acontece com as mulheres a partir da maternidade. Frequentemente relatam que querem dar conta de tudo, mas é preciso ajustamento à nova identidade e às descobertas em relação ao seu (desconhecido) bebê. Um bebê foi desejado, mas é o real que nasce. Uma mãe foi idealizada, mas é a mãe possível que vai funcionar e existir. Nasce um bebê. Constrói-se uma mãe. Sim, tipo lego, pecinhas, encaixes na prática.

A serviço da maternagem devem estar todos aqueles que se ocupam do casal e do bebê. Sejamos rede de apoio! 

Nenhum comentário :

Postar um comentário