13 de out de 2016

O tempo é uma criança brincando

Compartilhe
☆ Cena 1
- "Não tem problema não. Eu vou consertar". Diz o garotinho diante dos blocos que, ao cair, desmontaram o avião. 
- Ah, que ótimo! Muito obrigada. 
- Eu conserto tuuudo, sabia?

☆ Cena 2
- Tiiia! Ela colocou a xícara dentro do meu carrinho! Diz ele, muito bravo.
- Foi que caiu tia! Ela se defende.
- Sabe que eu tive uma ideia? Vamos fazer um chá pra todos! Estacionem os carros, tragam os bonecos, as bonecas e vamos preparar. Cada um ajuda um pouco, combinado? Agora é hora de provar! Hummm! Que cheirinho delicioso. Prova aqui! Oferecendo ao dono do carrinho, um gole imaginário do chá. Quem quer mais? 
- Eeeu! Várias vozes que se conectaram através da brincadeira mediada e transformada para o bem do grupo.

E assim é! Como o título deste texto, que é uma fala de Heráclito, filósofo  pré - socrático, considerando os aspectos semelhantes entre o tempo e uma criança brincando: não volta atrás, não espera e não se julga por isto. Brincar serve, como nas cenas acima, para experimentar e resolver; para equilibrar a emoção e a razão.

Se possível - e desejo que seja - ajude à criança para que diminua, sabiamente, o uso de objetos de pilha e bateria. Eles fazem o que nós poderíamos inventar e acomodam a criatividade necessária para a vida. A melhor energia, é aquela que a criança já dispõe, mesmo porque, brincar é simples: mais presença e menos presente. Elas precisam do nosso tempo, exemplo, abraços e histórias sobre quando éramos pequenos. Um pouco, todos os dias do ano!

Mayara Almeida
Psicóloga - CRP 13/5938

Nenhum comentário :

Postar um comentário