4 de set de 2016

Precisamos refletir sobre hetero/homo (sexualidade)

Compartilhe
Sobre relacionamentos afetivos de pessoas do mesmo sexo e com filhos, há uma dificuldade de aceitar este tipo de parentesco e o argumento é que se apresenta é "o bem da criança". Venho lembrar: em termos emocionais, uma criança deve ser criada por adultos que desempenhem funções parentais, as quais chamamos de materna e paterna, que devem promover a constituição psíquica do sujeito e facilitar os seus laços sociais. 


Resultado de imagem para Precisamos falar sobre hetero/homo (sexualidade) tumblrUm bebê, por exemplo precisa ser embalado pelo imaginário do adulto, acolhido subjetivamente pela palavra e suposições que não são palpáveis. São ilusões, de fato, mas excelentes ilusões necessárias. Este bebê, então, suposto pelos laços parentais, vai desabrochando e tantas vezes, marcando a diferença daquilo que foi inventado, descobrindo a alteridade em si e no outro. 


E como bem pontua a psicanalista Vera Iaconeli, “A heterossexualidade nunca foi vacina contra as psicopatias”.


Mayara Almeida
Psicóloga - CRP 13/5938

Nenhum comentário :

Postar um comentário