25 de set de 2015

Emagrecimento - conversar sobre o assunto pode ajudar muito no processo*

Compartilhe
*Texto publicado originalmente na edicação 70 da Revista Fashion News.

-----


Certo dia, alguém sente a necessidade de mudar seus hábitos alimentares, porém, em algum momento, surgem “justificativas” para não se manter nesta nova rotina. Mas o que isto tem a ver com obesidade ou emagrecimento?

Obesidade é um tema bastante trabalhado em terapia, pois envolve tanto sentimentos (comer porque está com raiva, ansioso, deprimido) como comportamentos (alimentação realizada em à TV, ingerindo mais do que percebe). Através do processo, é possível identificar e elaborar fatores que impactam no comportamento do indivíduo. Afinal, é lá no “infinito particular” - o inconsciente - que estão as experiências, referências, afetos e desejos que influenciam a vida como um todo.

Na terapia, lhe é dada a permissão para a palavra. Busca-se compreender o que acontece com aquela pessoa que busca sempre a mesma forma nociva de conforto e que não satisfaz. Não falar sobre o que existe por trás da alimentação, é como se castigar eternamente em vida, fazendo planos apenas para quando emagrecer. E enquanto o peso ideal não chega o sujeito não "pode" viver.

Algumas das reflexões que são feitas em terapia, podem vir a ser:

• Identificar o porquê de querer perder peso: ser aceito pelos outros? 

• Desejo real de emagrecer ou uma espera para que “o outro” o emagreça? Essa postura dos que esperam ser “emagrecidos” é fortalecida por fatores externos (medicação ou cirurgia desnecessária) pois manter-se magro e, o mais importante, saudável, vai depender de sujeito. 

• Como está sua auto-aceitação? Porque é impossível mudar uma coisa que você nem aceita que existe. Parar de brigar com o corpo é necessário para ter tranquilidade suficiente para ser eficiente ao fazer algo por ele.

• A sua forma de alimentação é vício? Como todas as adicções, comer trás satisfação em curto prazo e dor e arrependimento a longo prazo.

Portanto, se você está lendo e pensa em fazer ou está iniciando uma dieta, busque também ajuda psicológica e vá além da reeducação alimentar, permitindo elaboração do seu infinito particular. O retorno, com certeza, será incrivelmente positivo.

Psicóloga Mayara Almeida
CRP 13/5938

Nenhum comentário :

Postar um comentário