19 de out de 2016

[Entrevista] A internet e a mudança de hábito das pessoas

Compartilhe



O computador e a internet são meios de comunicação cada vez mais utilizados pela população, tendo diversas finalidades, sendo uma delas a interação virtual. Entretanto, a tecnologia das redes sociais pode ser aliada, por ser facilitadora da comunicação, mas também pode trazer prejuízos, quando traz um distanciamento das relações reais. Tantos de nós têm estado mais tempo nas redes sociais do que na vida real! Mas o que seduz tanto quem utiliza estas redes? Vaidade? Busca de socialização? Tem sido muito cômodo, aceitar amigos com um click, bloquear pessoas sem ter que lidar com o frente a frente. Mas esquecem das consequências: redução das nossas habilidades sociais, aumento da introspecção e fantasias extremistas e/ou negativas sobre as relações humanas. Os usuários das internet tem a oportunidade de interagir com outros usuários, aprender novas informações, manter contato, manifestar pensamentos e sentimentos, enfim, as opções são variadas.

Como consequência negativa pode existir algum grau de uma fragilidade do ego. O sujeito faz de tudo para demonstrar o oposto da sua vida real, porque é com a aprovação do outro que este sujeito ameniza sua insegurança: demonstra situações felizes, sorrisos, viagens perfeitas etc. Por trás desta cortina imaginária, há um hipermodernismo que reivindica: "estou aqui", por vezes, numa compulsão à exposição; uma espécie de Narciso* atual, numa ditadura da autoafirmação.

Um dos maiores desafios da atualidade pode ser a relação entre o que é representado nas redes sociais e o que existe fora dela, na vida real, pelo fato de poder ocasionar repercussões na subjetividade do indivíduo contemporâneo. O espaço individual precisa ser preservado: lugar para intimidade. Talvez possamos pensar em “menos curtidas” e mais possibilidades de curtir de fato, o fato!

Na mitologia grega, o mito do Narciso dá origem ao termo narcisista. Narciso, uma criança linda, pela qual sua mãe nutria muito amor e admiração. Por causa da beleza excessiva do filho, a mãe, preocupada, levou-o até um sábio. Foi então revelado que Narciso só teria uma vida longa se nunca enxergasse a sua própria imagem. Durante um longo período foi o que aconteceu; os pais esconderam todos os espelhos da redondeza para que Narciso crescesse sem jamais enxergar seu reflexo no espelho. Até que, certa vez, ele se aproximou do rio e viu uma imagem pela qual se apaixonou: Narciso estava apaixonado por si mesmo.

* Matéria publicada originalmente no Jornal Correio - Maio/2016

Nenhum comentário :

Postar um comentário