8 de jan de 2014

Meu filho vai à escola, e agora?

Compartilhe

Por: Psicóloga Mayara Almeida

Nó na garganta, coração acelerado, sensibilidade em ebulição... Podem parecer sintomas de algum problema sendo instalando, mas não, é só você, tomando consciência de que seu filho vai à escola. Situação comum entre pais de primeira viagem, que iniciam o processo de adaptação da separação real do filho, considerando sua entrada concreta no mundo social.

Esse "ritual de passagem" é como cortar o cordão umbilical pela segunda vez, só que agora, parece que o choro é seu. Isso significa que o processo de adaptação é também vivenciado pela família e esta, precisa equilibrar as emoções para que a criança sinta-se segura e confiante diante da nova etapa e, no momento em que a mãe, ou pai, diz que voltará para buscá-lo, ao invés de chorar, ela acredita.

Converse com a criança, anteriormente, mostre os materiais, e explique que ela irá para um lugar onde usará aqueles objetos e que será divertido; diga que conhecerá novos amigos e poderá brincar com eles. Não esconda a verdade, para não perder a credibilidade e, acredite: apoiar a ida da criança à escola é permitir um adequado salto em seu desenvolvimento: sociabilidade, disciplina, solidariedade, afetividade, autonomia, entre outros, tão necessários para a vida de todo ser humano.

Então, vai lá mãe, e ajuda teu filho a apreender uma saudável independência!
Boa sorte.

Nenhum comentário :

Postar um comentário