20 de dez de 2010

Se quiser mesmo saber...

Compartilhe

Pergunte quem eu sou a quem me viu cair e levantar sorrindo depois da queda. Pergunte quem sou eu a quem me acordava pela manhã para ir à escola. Se quiser mesmo saber, pergunte sobre mim a quem me viu com raiva, e pergunte o que eu faço depois que passa, porque isso é muito importante. Pergunte a quem já dormiu do meu lado e acordou com meu sorriso. Pergunte quem sou eu a quem estudou as provas comigo e a quem viu meu comportamento durante a sua execução. Duvide daqueles que iniciarem falando algo de ruim, estes apenas acham que sabem sobrem mim. Não se apresenta ninguém dessa maneira. Pergunte a alguém que permaneceu junto de mim em algum fracasso, pois na minha vida, muita coisa já foi confusão. Pergunte a alguém que já passou o dia ao meu lado quando estou com dor de cabeça. Pergunte sobre mim para aqueles a quem já me calei, pergunte por quê. Pergunte quem sou eu a quem me fez e me viu chorar, a quem eu ajudei, a quem eu machuquei, a quem eu perdoei. Pergunte quem sou eu a quem estava comigo quando minha avó faleceu e me viu abraçá-la e repetir seu nome, porque antes de ir, ela chamou o meu e eu não estava. Pergunte sobre mim a quem me viu perder objetos e não achá-los rapidamente. E se quiser mesmo saber, pergunte no mínimo, a cada seis meses, porque eu poderei mudar, evoluir, faz parte. Eu sou e serei essas tantas que te disserem e ainda sobrarão espaços, não espaços vazios, mas preenchidos por tudo que sou e ainda não descobri. Sou imperfeita sim, afinal, o pecado original veio do paraíso, eu não posso me culpar. Quem quiser saber de mim, se solte, e aí ficará sabendo sempre, pois eu não soltarei jamais.

[Mayara Almeida]

Nenhum comentário :

Postar um comentário