21 de abr de 2011

Longo tempo não-juntos

Compartilhe

Uma discreta parte de mim, ainda espera que você volte, ou que eu vá. E então, penso em você assim, do nada, enquanto estou assistindo tv, ou procurando um página no google, ou às vezes, escolhendo a roupa para o trabalho... E percebo meu rosto sorrir. Não é nada específico que me faz lembrar, simplesmente o fato de ser você. Totalmente involuntário esse amar. Desde a última vez, eu achei que fosse ser forte quando acontecesse de novo. Mas eu tinha alguma força, juro que guardei, mas não sei onde. Talvez eu não esteja preparada para as despedidas dos relacionamentos, despedidas necessárias. Não agüento o fim e não agüento mais os começos, as mentiras, os erros, os medos, a superação, o continuar do jeito que dá. Tenho preguiça, não dá. Tem que ser você, antes que perca o sentido, antes que eu deixe de acreditar que esse tempo de agora é distração passageira... Como eu queria almoçar com você hoje, porque isso só a gente entende.

[Mayara Almeida]

Nenhum comentário :

Postar um comentário