22 de mai de 2016

O que faz um psicanalista?

Compartilhe


Na maioria das vezes, as pessoas procuram um psicanalista, porque têm algum sofrimento, algum problema. Mas para estar em análise é necessário algo mais. É preciso refletir: qual a minha participação nisso? Aí sim, teremos uma demanda de análise. Isto imprime responsabilidade do sujeito sobre as próprias questões.

No consultório, se alguém me pergunta o que fazer diante de um problema a ser resolvido, responder prontamente determinará quem eu sou, por isto não deve-se responder: não sabemos a resposta. A questão é do outro. Foi construída por ele. É ele que sabe, mesmo que não saiba que sabe. E acrescento, é muito difícil não responder, ou não oferecer o lenço para enxugar as lágrimas. Mas o lugar do psicanalista é presenciar e suportar o real do outro.

Costumo perguntar aos clientes na primeira sessão: o que acha que é a terapia? A resposta às vezes é algo como: "Eu quero saber como deixar de ser ansioso", ou "Preciso que me diga como mudar determinada situação", ou ainda, "Vim para conseguir passar numa seleção específica". Minha resposta circula entre algo como: Eu preciso te dizer que (ainda) não tenho bola de cristal. Mas me deixe falar sobre o que é possível:

● Algo que faço é te ajudar a se sentir mais forte e melhor consigo mesmo. Também tento ajudar a fazer um melhor contato com as suas questões pessoais e com as pessoas em sua vida. Ainda posso ajudar a expressar sentimentos profundos. Emoções podem transformar-se em problemas quando guardadas por um longo tempo.

Se fizermos assim, os comportamentos e sintomas que parecem precisar "deixar de ser" tendem a desaparecer. E se não for assim, nós - você e eu - vamos precisar rever o que estivermos fazendo.

A terapia é uma costura de pares. 

Mayara Almeida 
Psicóloga - CRP 13/5938

Nenhum comentário :

Postar um comentário