23 de jul de 2016

5 (importantes) dados sobre a psicoterapia

Compartilhe

1 - Eu não prometo que vai ser fácil, mas prometo que você pode contar comigo. Fazer psicoterapia consiste em se arriscar a olhar as próprias dores, correr contra a correnteza pois, comumente, nós fugimos disto. Mas, quando se olha as dores com a ajuda de alguém que vê além, que não está envolvido emocionalmente com seus problemas, é possível entender os padrões de comportamento e de repetição, os entraves e enxergar as possibilidades de ajustes e mudanças.


2 - Talvez existam dias que você pense: não tenho nada pra dizer. Nesses dias é muito importante ir ao atendimento mesmo assim, pois também são momentos que rendem, abrindo espaço para lembranças de aspectos que não haviam sido revisitados.


3 - Mesmo percebendo que alguns assuntos lhe incomodam, talvez eu precise perguntar sobre eles. Poderá sentir raiva porque vou te responsabilizar por suas escolhas. E, tudo bem.


4 - O sucesso no tratamento depende de mim e de você. O trabalho na psicoterapia é um trabalho conjunto ente profissional e paciente. O melhoramento vai depender do seu esforço em se abrir, avaliar as análises do psicoterapeuta, pensar, investir energia adequada no processo, dividir como se sente, como as coisas lhe afetam e, principalmente, não desistir.


5 - Mas, e se quiser desistir? É comum, durante o processo psicoterapêutico, sentir vontade de faltar à sessão, mas, justamente nesses dias você precisa fazer de tudo para ir. Essa falta de vontade para a terapia acontece com todo mundo em algum momento; mas lembre-se que pode ser um sinal de que estamos chegando perto do sintoma, de entender o que lhe acontece. Por outro lado, pode ser que não tenha havido uma identificação do paciente com o psicoterapeuta ou com o método de trabalho, então é preciso avaliar qual dessas situações estará ocorrendo com você, em caso de sentir-se resistente.

Nenhum comentário :

Postar um comentário