1 de mar de 2013

Compartilhe



Será que estamos fadados ao sofrimentos emocional e afetivo? Li este questionamento por aí, entre as minhas pesquisas na "rede online onde sobre tudo se encontra" (leia-se internet) e refleti o seguinte...

Homens, mulheres, crianças... No meio de todos, nada. Um vazio que ocupa o íntimo de cada um; a busca incansável, o desejo insaciável, a urgência pelo que for (im)possível. Na propaganda entre um capítulo e outro da novela, ou  entre uma notícia e outra do jornal, ou ainda entre uma parte e outra do desenho super divertido e animado, está lá, o vazio, pronto para ser preenchido com tudo aquilo que fizer brilhar os olhos e tocar direito o coração... A propaganda encanta. Não há motivos para não querê-la. Afinal, o que busco, até onde vou? Os olhos saltam, porque é mais fácil, mais cômodo e mais... O quê mesmo? Não lembro mais, já estou em outra, em outros lugares, em outra propaganda... Urgência. E este é o grande engano. Nada é tão fácil assim...

Um dia descobriram o fogo, depois a solidão e agora?

Nenhum comentário :

Postar um comentário