26 de jul de 2011

(Não) há..

Compartilhe

Enquanto eu ainda sinto, você sente que não há. Tempo teu diferente do tempo meu. Não, não há mesmo. Não há congruência nesta relação. Que relação? Não há também uma relação. Te escrevo para dizer que eu sei, e assim eu me escuto e talvez eu me acredite um pouco mais. Os livros que te dei você levou, claro são seus, mas neles estão as palavras que te desejei. E elas podem voltar sozinhas? Não, não há. Não há como voltar a palavra dita; mas há como criar palavras novas, ditas ou cantadas: o amor que tu me tinhas, era pouco e se acabou.

[Mayara Almeida]

Nenhum comentário :

Postar um comentário